Estudo norte-americano mapeia a disposição das emoções ao redor do mundo. Brasil está entre os que mais experimentam emoções.


Desde 2009, habitantes de 150 países foram questionados sobre suas experiências emocionais diárias.

Desde 2009, pessoas de 150 nações foram questionadas sobre suas experiências emocionais diárias. Cinco questões buscaram avaliar se o participante teve emoções positivas ou negativas significativas no dia anterior à pesquisa. Quanto maior o número de respostas “sim” para perguntas como “Você sorriu ou riu muito ontem?”, mais emocional tende a ser a pessoa, afirmam os idealizadores da pesquisa.Apenas 2.346 quilômetros, a distância entre São Paulo e Fortaleza, separam o povo mais emocional do mundo, os filipinos, dos mais impassíveis do globo, os singapurianos. Essa é a conclusão de um estudo realizado peloinstituto de pesquisa norte-americano Gallup sobre as emoções. No mapa ao lado, os países coloridos em roxo são os mais emocionais. Os amarelos são os mais blasés.
Veja os principais destaques do levantamento:
  • Singapura é o país menos emotivo do mundo: “Os singapurianos reconhecem que têm um problema”, reporta a revista Bloomberg Businessweek sobre o “déficit emocional” de um país cuja cultura nas escolas “desencoraja os estudantes a pensarem em si mesmos como indivíduos”. A publicação também cita a baixa satisfação profissional e a experiência urbana: “Ser emocionalmente neutro pode ser uma forma de lidar com o estresse de uma vida urbana em que 82% da população vive em moradias construídas pelo governo.”
  • As Filipinas são o país mais emotivo do mundoA nação católica do sudeste asiático, ex-colônia da Espanha e dos EUA, está bem à frente do segundo colocado, El Salvador.
  • Os países que pertenciam à União Soviética estão entre os mais impassíveis: Depois de Singapura, Madagascar e Nepal, os antigos soviéticos são os menos emotivos e, ao mesmo tempo, os maiores consumidores de cigarros e álcool. Mas isso segue a mesma linha do enigma de quem surgiu primeiro: o ovo ou a galinha? A Europa, por sua vez, apresenta uma gradação, com as emoções se tornando mais externas quanto mais a oeste estiver o país.
  • O continente americano é exuberante: o Brasil, assim como os demais países americanos, apresenta altos índices de emotividade. Os EUA e o Canadá estão entre os 15 países mais emotivos do mundo. Os únicos países fora do continente que estão no topo desse ranking são os árabes Omã e Barém.
  • Os países que falam inglês e espanhol tendem a ser mais emotivos e felizes: Em se tratando de emoções positivas, a América Latina é uma referência mundial. Panamá, Paraguai e Venezuela estão no topo do ranking.
  • Os africanos são impassíveis de forma geral, mas há exceções significativas: O continente africano é um dos menos emotivos, apesar da grande variação, que remete à grande diversidade cultural africana. A África do Sul, que possui grandes laços culturais com o Oeste Europeu, está entre os mais emotivos, enquanto a Nigéria, que tem enfrentado protestos e movimentos violentos, fica entre os mais impassíveis.
  • O Oriente Médio não é feliz: As regiões com maior incidência de sentimentos negativos são o Oriente Médio e o Norte da África, sendo o Iraque, Barém e os territórios palestinos os líderes.
(Conteúdo adaptado de um dos blogs do The Washington Post)
Fonte: asboasnovas.com

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.