Esta revista que não respeita ninguém, nem mesmo as religiões, causou indignação de cristãos e islâmicos ao publicar charges vexatórias e agora lançam mais uma aberração mundial, causando novamente repulsa de muita gente em todo mundo.





Image copyrightAP
Image captionRainha da Jordânia rebateu charge de semanário francês dizendo que Alan poderia ter sido médico ou professor

A rainha Rania, da Jordânia, publicou um desenho em sua conta no Twitter como reação à charge do semanário satírico francês Charlie Hebdo sobre o menino sírio Alan Kurdi, que morreu afogado em uma praia da Turquia.
No desenho, de autoria do cartunista jordaniano Osama Hajjaj, o menino sírio aparece retratado como um médico quando adulto.
No tuíte que acompanha a charge, Rania escreveu que "Alan poderia ter sido um médico, um professor, um pai amoroso".
A postagem foi uma resposta ao Charlie Hebdo que publicou nesta semana uma charge que retrata um homem correndo atrás das mulheres e diz que, se tivesse sobrevivido, Alan seria "apalpador de nádegas na Alemanha" quando adulto.


Foto: Osama HajjajImage copyrightosamacartoons
Image captionCartunista jordaniano Osama Hajjaj retratou garoto de maneira positiva

A charge francesa faz referência ao episódio ocorrido na cidade alemã de Colônia durante o Ano Novo, quando mulheres foram vítimas de assédio sexual, roubo e estupro por grupos de refugiados.
Parentes de Alan, que vivem no Canadá, afirmaram estar revoltados com a charge.
No entanto, algumas pessoas interpretaram o desenho como uma crítica à forma como a mídia muda rapidamente de opinião sobre os refugiados.
Não é a primeira vez que o semanário francês retrata o menino sírio em suas charges. Em uma delas, o corpo de Alan aparece estirado na areia da praia próximo a um anúncio do McDonald's com a legenda: "Tão perto".
A fotografia do menino sírio de dois anos morto em uma praia da Turquia no ano passado provocou comoção mundial sobre a crise humanitária envolvendo refugiados.

Foto: Reprodução/Twitter
Image captionCharge de Charlie Hebdo, que relaciona morte de Alan com episódios de ataque sexual na Alemanha, foi criticada nas redes sociais
Fonte: BBC  Brasil

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.