Para (Steffen,1998, p. 53) o Islamismo é um movimento religioso que teve sua origem na nação Árabe, que está fortemente vinculada com história de Abraão, casado com Sara que não possuía filho, com a ideia de não poder dar à luz, muito sentida com possibilidade de Abraão não ser pai de uma grande nação como Deus prometeu, Sara então oferece sua serva Agar, para que lhe de um filho, nasce Ismael. 

Após alguns tempo, Sara também dá a luz um filho, e coloca o nome de Isaque, que quer dizer “risada” ela com medo de não garantir o direito da primogenitura do filho, manda que Abraão pede para ambos irem embora. Abraão afasta Hagar e Ismael de seu convívio, e os envia para o deserto aonde passam a viver como nômades, Ismael casa-se com Jadaé, nasce assim a nação Árabe. 


Para Chebel (2010, p. 33) o Islamismo surgiu através de Muhammad nascido órfão no dia 29 de agosto de 570, seu pai morrera pouco antes de seu nascimento. Apesar disso teve uma infância muito feliz, sob os cuidados de sua ama de leite,conhecida como Halima, muito doce e meiga.



Do planalto de Hedjaz, no oeste da atual Arábia Saudita. De acordo a tradição, um milagre ocorreu com ele quando era jovem. Quando Muhammad guardava os carneiros da família, "duas aparição luminosas, vestidas inteiramente de branco", aproximaram-se e retiraram de seu peito um coágulo de sangue negro, que foi atirado longe.


Muhammad em 576, com apenas seis anos de idade, acompanhou sua mãe, até Yathrib, atual Medina, onde ela morreu com uma terrível doença. Órfão de  mãe aos 7 anos, foi acolhido calorosamente por seu avô Abd Al- Muttalib, por parte de pai, homem muito rico e influente, que amava o neto como um filho.

Chefe do poderoso clã Árabe dos coraixitas, ele administrava o templo sagrado da caaba, em Meca, construído no tempo de Abraão, o patriarca dos hebreus. Assim Abd al- Muttalib era uma das personalidades mais poderosa da cidade. Idoso, morreu pouco tempo depois de acolher o neto, ao 95 anos. O jovem ficou novamente sem proteção. O tio paterno, Abu Talib, ofereceu-lhe então sua casa. (Chebel, 2010, p. 33).


Depois de algum tempo Muhammad viveu uma grande experiência em Basra “no atual Iraque' encontrou um monge de Bahira, que viu nele o futuro profeta. Semanas depois ainda impressionado com aquela personalidade, encontrou uma jovem rica, Kadidja de coraixita, que confia seus bens. Kadidja com 40 anos, propôs casamento a Muhammad, cerca de 15 anos mais jovem. Tiveram sete filhos, somente as meninas sobreviveram.


Maomé como ficou conhecido, tinha o hábito de fazer retiros espirituais nos arredores de Meca. Em 611, durante um desses retiros, "o próprio anjo Gabriel" se revelou a ele.



O "anjo" solicitou a Maomé que lesse os sinais árabes bordados em um longo pergaminho de seda. ''mas eu não sei ler !'' espondeu, envergonhado. “ leia”, insistiu o "anjo". “Mas não aprendi a ler”, objetou mais uma vez. "Gabriel" então leu e pediu para Maomé repetir: “Leia em nome de teu Senhor que criou, que "criou o homem a partir de um coágulo de sangue”.                                                                                     

O primeiro versículo da revelação do Alcorão foi assim declamado. Aterrorizado pela aparição, o profeta pensou que fosse morrer. "Gabriel" desapareceu, depois de preveni-lo de que voltariam a se encontrar mais vezes. Maomé desceu então a colina rumo a sua casa em Meca (Chebel, 2010, p. 33).

Cotrim (2002) afirma que os princípio básicos do islamismo encontram-se reunidos no Alcorão, que significa a leitura, livro sagrado dos muçulmanos. No Corão Deus “Alá” é apresentado como único criador do universo e essencialmente bom e justo.


Além de normas religiosas, o livro sagrado Corão inclui também preceitos jurídicos, morais, econômicos e políticos, que serve de orientação para seus seguidores no seu dia a dia social, proíbe também que o seus seguidores comam carne de porco, bebidas alcoólicas ou pratiquem jogos de azar. Já o roubo é punido severamente.



Alcorão é o livro sagrado dos muçulmanos, para os quais está contida "a palavra de Deus", revelada ao profeta Muhammad (Maomé), fundador do islamismo. A revelação do Alcorão levou 23 anos para se completar. É considerado a primeira e a mais importante fonte da religião muçulmana.                         


O Alcorão é composto de 114 capítulos, chamados de “suratas” somando 6236 versículos ou “ayuas”. O conteúdo desse livro sagrado começa a ser compilado e anotado já na vida do profeta, mas é fixado definitivamente durante o governo do terceiro califa, Othman, entre 644 e 656. O Alcorão é escrito em árabe, sendo dever de cada muçulmano, árabe ou não, fazer suas orações nessa língua(Cotrim, 2002, p. 106-107). 

Autor: ADICLECIO DIAS MESTRE EM TEOLOGIA,E ESPECIALISTA EM ENSINO RELIGIOSO.

Fonte: Ultimato

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.