"Ai daquele que contende com seu Criador, daquele que não passa de um caco entre os cacos no chão. Acaso o barro pode dizer ao oleiro: 'O que você está fazendo?' Será que a obra que você faz pode dizer: 'Ele não tem mãos?'" -Isaías 45:9


Infelizmente muitos “chavões” ou “jargões” têm invadido as igrejas evangélicas no Brasil. Frases como: “Eu profetizo”, “Toma posse da bênção”, “Eu determino”, “Eu declaro”, entre muitas outras, muitas delas formas arrogantes de os crentes exercitarem sua fé ou de se dirigirem a Deus, exigindo bênçãos imediatas. 

A pergunta é: Como você trata Deus quando as coisas na tua vida não estão indo de acordo com os teus planos? Você discuti com Ele usando a lógica, culpando-o, ou ameaçando-o, exigindo e determinando? Talvez você ache que com esta idade já deveria ter tido um filho, que deveria ter um emprego melhor ou que alguém que você ama não poderia ter ido embora. Lembre- se de quem é o Criador e Senhor da história.

Muitos jargões surgiram como resultado de doutrinas controversas e egoístas, como a crença em “maldição hereditária”, e a “confissão positiva”, que vieram juntas com a “teologia da prosperidade”. São ensinamentos antibíblicos. Com a mistura de uma cultura que sempre se acha merecedora de recompensas. Recompensas essas boas, imediatas onde não a necessidade de perseverança, onde não existe o amanhã, onde o prêmio é imediato e infelizmente temos visto isso tomando conta do povo de Deus. 

Temos visto um número cada vez mais crescente de cristãos que tentam resolver os seus sonhos, sua vida e alcançar seus objetivos, sempre com as próprias forças, abstraindo Deus de suas glórias e conquistas pessoais. Com a chamada “confissão positiva” colocando o peso das realizações espirituais nas palavras pronunciadas e na atitude mental da pessoa que está ministrando, desconsiderando a genuína fé em Deus. Essa atitude apoiada na falsa crença que diz: “Há poder em suas palavras”, como se as palavras humanas tivessem poder de criar, de intervir, de mudar situações. Estes são aqueles que que tem a mania de querer mandar em Deus com expressões desprovidas de qualquer espiritualidade ensinada nas sagradas escrituras, frases como: DEUS! EU DETERMINO QUE... EU QUERO QUE... EU MEREÇO... EU PROFETIZO. Esse “eu determino”, “eu quero”, “eu mereço” nada mais é que uma mentalidade mundana e materialista que tem levado muitos a barganharem com o Senhor. 

Deus é todo poderoso e Ele sabe de todas as coisas. Os cristãos precisam entender que não podem dar ordens a Deus! É Deus quem determina (Quem é aquele que manda, e assim acontece, sem que o Senhor o tenha ordenado? Lamentações 3:37); é Deus quem decreta; é Deus quem declara; é Deus quem abençoa. É Deus; não sou eu. Ele é tudo; eu sou nada! Eu sou servo; Deus é Senhor! Ele é soberano; eu apenas obedeço à sua Palavra. Não caia nessa moda de exigir e contender com Deus, pois Ele não mudará sua vontade por nossas birras mimadas.


No amor de Cristo, Wesley Souza

Fonte: Ultimato

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.