De acordo com o pastor Massao Suguihara, líder do grupo Adoração & Adoradores, muito do que se produz hoje traz mais impacto ao homem do que a Deus.

Pastor Massao Suguihara durante a Conferência de Intercessão e Adoração "O Som da Noiva". (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
Pastor Massao Suguihara durante a Conferência de Intercessão e Adoração "O Som da Noiva". (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Ao contrário do que muitos pensam, o conceito de adoração ainda não foi compreendido de forma plena pela igreja evangélica nos dias atuais. De acordo com o pastor Massao Suguihara, líder do grupo Adoração & Adoradores, muito do que se produz hoje traz mais impacto ao homem do que a Deus.

“Muitas vezes, tudo o que nós estamos fazendo aqui é mais uma coisa ‘almática’ do que espiritual. Eu creio que nós precisamos entender um pouco mais o que é a adoração, e que o vai realmente tocar o coração de Deus”, disse ele em entrevista ao Guiame durante a Conferência de Intercessão e Adoração "O Som da Noiva".

“Eu acho que o que a gente faz aqui toca mais o nosso coração do que o coração de Deus. A gente faz uma adoração que é mais voltada para nós… No fundo, é isso o que eu estou entendendo hoje”, acrescenta o líder.

Massao revela que a visão sobre adoração que Deus tem entregue a ele é baseada em uma teologia bíblica fundamentada em dois eixos: compaixão e santidade. “A maior forma de expressar a adoração que Deus espera de nós é por meio da santidade e da compaixão pelas almas”.

“Adoradores que não tem compaixão e não olham para as pessoas carentes, adoradores que estão apenas no palco ‘adorando’ ao Senhor, são adoradores meia boca, porque a espiritualidade genuína tem que ter essa compaixão”, afirma, fazendo referência ao trecho bíblico de Tiago 1:27.

Fazendo novas referências bíblicas, Massao relembra os trechos de Amós 5:21-24, no qual Deus rejeita a adoração e os sacrifícios do povo. “Nós temos uma visão de vida espiritual e adoração ainda muito limitada, porque a maioria dos adoradores estão voltados mais para a parte contemplativa e a parte mais expressiva”, ressalta o pastor.


Pastor Massao Suguihara durante a Conferência "O Som da Noiva". (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa

O líder ressalta que a música é um instrumento muito importante — mas ela é apenas um instrumento. “Se não houver conteúdo de vida, de santidade, de compaixão, Deus não vai ser tocado por aquilo que a gente canta. Eu creio que a música nos estimula a buscar a Deus, mas sem uma base de compaixão, paixão e santidade, a nossa adoração é vazia.”

Adoração & Adoradores

O Instituto Adoração & Adoradores, conduzido por Massao, trabalha na formação ministerial de líderes e ministros de louvor, sem abordar a parte técnica da música. “Nós focamos mais no caráter, na visão de adoração, na santidade e na estruturação do grupo”, explica o pastor.

O curso, que tem campi espalhados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, é oferecido em dois anos, distribuído em quatro módulos. Outro aspecto da formação é a equipe de professores, formada por pastores e ministros de louvor.

Nomes como Asaph Borba, Paulo César Baruk, Nívea Soares, Ronaldo Bezerra e Teófilo Hayashi estão entre os professores fixos e convidados. “Eles têm uma visão e ensino bem maduros e sólidos. Nossas aulas não são apenas aulas, são ministrações mesmo. Nós não queremos passar conhecimento, queremos passar conteúdo de vida para aqueles que estão participando dos nossos cursos”, avaliou Massao.

Fonte: Guiame

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.