Que coisas especificas a igreja deve ou pode fazer pelos que "desistem" ou retornam mais cedo e, talvez não voltem mais para o ministério transcultural, ao invés de abandoná-los ou desprezá-los como tem acontecido com dezenas e centenas de missionários?

1. Receber os missionários como pessoas normais  

Eles precisam de atenção, toque humano, aceitação, um abraço. As feridas são curadas quando o individuo é tratado com amor, consideração e misericórdia. Crítica, condenação, desprezo, nunca ajudaram a restaurar um missionário ferido e frustrado.

A igreja deve suprir as necessidades básicas do missionário e sua família, tanto físicas como mentais. Dar aos obreiros que retornam apoio moral e espiritual pode levantar muito cedo o seu moral. Reveja os passos que os fizeram sair do campo, mostrando-lhes como retomar o caminho da vitória.

Se a mensagem que se passa aos missionários é de fracasso, então é improvável que  sejam restaurados e voltem ao campo. Seja como for ninguém pode condenar outra pessoa se nunca esteve lá.

2. Manter contato, encorajar e visitar   

Eles devem ser encorajados a não perder  de vista seu ministério missionário. Eles retornaram mas continuam sendo obreiros do Senhor, e Ele pode usá-los não importa onde ou em que condições se encontram.

O papel básico da igreja neste caso é ajudar os missionários que retornam a entrar em um processo de cura interior, e incentivá-los a preparar-se melhor para a tarefa transcultural. A restauração pode ser num curto prazo ou longo prazo, dependendo da eficácia da igreja na ajuda, e também dos próprios missionários.

Quando a igreja lhes concede a atenção merecida por meio de alguém em quem eles tem confiança - é mais fácil a "sujeira e o pus" sair sem ter uma reação negativa e a recuperação acontecerá de forma mais rápida, com a ajuda do Senhor.

3. Os serviços de cuidado dever totalmente confidencial   

 É "mortal" quando o conselheiro é visto como canal secreto de informações sigilosas, só em pouquíssimas ocasiões temos de enfrentar exceções em que leis foram quebradas ou normas bíblicas importantes foram violadas, afetando a permanência do missionário no campo e na missão, neste caso, deve-se levar as informações ao pastor responsável da igreja que tomarás as devidas providências.

Não devemos expor os "retornados" à humilhações diante da igreja, pois tanto eles como a própria igreja estão decepcionados e necessitam de cura e restauração e também para que as portas continuem abertas para outros que estão sendo enviados para o campo missionário continuem tendo total apoio do ministério e da igreja.

4. Nossa experiência como soldados feridos

 Em 1991, depois de 1 ano e 6 meses de obra missionária em Macau - sul da China, minha esposa passou por uma simples cirurgia de apendicite e por causa de problemas cardíacos que desconhecíamos, ela quase partiu para o Senhor e os problemas pioraram ainda mais. Tivemos que retornar ao Brasil e chegando aqui fomos calorosamente recebidos pelo nosso pastor presidente José Ezequiel da Silva que nos enviou para a cidade de São Lourenço (onde estamos novamente) para pastorear a igreja local.

Recebemos o apoio, o socorro e a ajuda da igreja e do ministério pois havíamos voltados do campo transcultural "feridos e decepcionados com  a doença de minha esposa, inclusive eu afirmei várias vezes que nunca mais poderíamos voltar ao campo missionário.

Deus foi misericordioso e nos primeiros meses de pastorado em São Lourenço, numa campanha de oração e jejum Marlene foi curada pelo Senhor, e depois de 2 anos no Brasil, voltamos à Macau, para continuar nosso trabalho missionário completamente restaurados.

Por fim, quando o missionário vai para o campo normalmente ele participa de uma honrosa despedida, mas quando retorna prematuramente não recebe nenhuma honra e atenção. Na verdade são "soldados feridos" que necessitam de socorro e ajuda espiritual, moral e física. Não podemos esquecer que são almas, vidas, famílias, homens, mulheres e crianças que deixaram tudo para irem ao campo missionário, portando coloquemos em prática o que o Senhor Jesus ensinou na "Parábola do Bom Samaritano". 

A Deus toda gloria.

Pr. Antonio Romero Filho

Postar um comentário

Pr. Antonio Romero Filho

{picture#http://imagizer.imageshack.com/img922/3226/HlUzqY.jpg} Presidente da Assembleia de Deus - Ministério de São Lourenço - MG - Brasil. Fundador do CIM - Centro Internacional de Missões. Pioneiro de Missões do Ministério de Taubaté - SP - 1981/2001 - Diretor responsável pelo Portal CNB. {facebook#http://facebook.com} {twitter#http://twitter.com} {google#http://google.com} {pinterest#http://pinterest.com} {youtube#http://youtube.com} {instagram#http://instagram.com}
Tecnologia do Blogger.